Pesquisar este blog

domingo, 2 de outubro de 2011

domingo, 25 de setembro de 2011

Borboletas

Neste desenho, usei nanquim, mas dessa vez com lápis de cor aquarelável. 

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Sobre algo que sinto a respeito da arte.

Hoje estava ouvindo música e me ocorreu o quanto a arte revela sobre aquele que a compõe. Daí escrevi o seguinte texto:

Um artista é um indivíduo que vive de compartilhar com outras pessoas o que há de mais íntimo em si, e faz isso de tal forma que não nos parece que há nisso violência. Mas é violento, e não há como não ser, expor-se nas suas mais fortes crenças, nos seus temidos medos e preconceitos, na sua forma única de interpretar o que está a sua volta. É quase como se calar diante de um crime, exibir algo que carrega tanta alma como se simplesmente vendesse chaveiros. 
Expressar arte com a naturalidade de quem desempenha apenas um trabalho pra se ganhar a vida exige muita frieza e abstração. Muitas vezes, a arte concebida por outrem nos atinge e é como um feixe de luz que reflete várias e várias vezes dentro de nós, fazendo vibrar cada parte, mesmo as esquecidas ou perdidas, de nosso ser. O movimento contrário, colocar a arte de dentro para fora, é como emitir pequenos feixes dessas partes que nos caracterizam. Às vezes esses feixes podem ferir; não como um raio quente de Sol, mas como uma lâmina fria e passageira. E o artista sente o desferir dessa lâmina e sorri.

Quadro Rifado

Quando resolvi fazer aulas de piano, rifei esse quadro, que era um dos que eu mais gostava, por ter sido muito bom  de criar e de pintar. Bom, as aulas de piano infelizmente não duraram muito... Mas fico feliz que o quadro hoje esteja em boas mãos!

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Anjo

Um anjo em preto e branco e um céu azul (grafite e lápis de cor). Esse é um dos desenhos antigos de que mais gosto.

Corujinhas!

Este quadro (lápis de cor sobre papel canson) foi um presente para uma pessoa que gosta muito de corujinhas! :) Pena que saiu a luz do flash na foto...

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Soneto (?)

Escrevi este poema há muitos anos, quando ainda estava no primeiro ano do ensino médio... Meu objetivo era escrever um soneto, mas até hoje não sei se a métrica está correta, hehe! Ele é praticamente uma adivinha. Qual a resposta?!

A Máquina do Tempo

Preso na cela de um instante teu,
Tua face viva, só na minha mente.
Mãos invisíveis a um olho ateu,
Tu só repousas se o corpo não sente.

As mãos buscando inatingível pico,
Cuja argila ainda não foi moldada.
Os pés descendo, onde já não fico,
Onde a rocha é areia e mais nada.

Oh, devaneio, eu não pude crer!
Não posso alcançar o intocável
Se só o presente é o que posso viver.

Mas sempre zombas da minha loucura
De querer dominar o indomável.
Sou criador nas mãos da criatura.

Cavalinho!

Este cavalo (tinta a óleo sobre tela) foi um dos meus primeiros quadros e foi a minha primeira encomenda! 

sábado, 30 de julho de 2011

...e um pôr-do-sol!

Este quadro (óleo sobre tela) foi um presente de aniversário. O pôr-do-sol foi inspirado em uma foto que tirei em Paulo Afonso, interior da Bahia.

Um Poeminha Meu

Borboleta

Breves, voam as cores,
Lindas.
Lindas, vão entre as flores,
Puras.
Simples, nadam ao vento,
Manso.
Pares de passos lentos,
Livres.

Surge ao piano o canto,
Lívida melodia
O frio aposento encerra.

Doce ou feroz, não tanto
Bela quanto eu queria;
Chuva à primavera.

Bailarina

Esta bailarina (grafite, lápis de cor e nankin sobre papel canson) foi encomendada por um amigo para ser dada de presente.

Meu Mais Novo Quadro!

Minha amiga me encomendou uma paisagem. Me inspirei em algumas fotos que tirei em Ituberá, no sul da Bahia.